Pesquisar

Comer, Ouvir, Falar

Reabilitação da Comunicação e da Deglutição

Categoria

Afasia

Dicas para Comunicar com a Pessoa com Afasia

Na maioria dos casos, a pessoa com afasia tem intenção comunicativa, sabe o que pretende, tem opiniões formadas, ideias e sentimentos que quer transmitir, mas não é capaz de o fazer de forma natural, como antes da lesão cerebral.

Por dificuldades na compreensão e/ou na expressão, a comunicação entre a pessoa com afasia e os seus familiares e amigos torna-se menos eficaz. Assim, a afasia – e as dificuldades que dela advêm – cria uma barreira comunicativa entre o utente e os seus próximos, dificultando a manutenção de relações interpessoais saudáveis e a formação de novas relações.

De forma a facilitar a comunicação entre a pessoa com afasia e os seus parceiros comunicativos, o Terapeuta da Fala deve fornecer algumas estratégias que tornem este processo mais eficaz e permitam reduzir o isolamento social, tão comum na pessoa com afasia.

Se tem um familiar, amigo ou conhecido com afasia, alguns pontos-chave que deve ter em consideração são:

  • Devido à lesão neurológica, a pessoa com afasia pode ter dificuldade em manter o foco de atenção. – Chame a sua atenção antes de iniciar a conversa e reduza o ruído de fundo ou outros elementos distrativos do ambiente.
  • Após a lesão cerebral, os processos neurológicos envolvidos no processamento/compreensão da fala são mais morosos e, por isso, o tempo de latência entre a pergunta que colocou e a resposta da pessoa com afasia pode ser maior do que o habitual. – Seja paciente, pergunte uma coisa de cada vez e aguarde uma resposta.
  • Pela mesma dificuldade na receção da mensagem auditiva, se falar muito rápido, com um discurso complexo, descontextualizado e sem pausas, este processo pode tornar-se ainda mais exigente e desmotivador para a pessoa com afasia. – Utilize um discurso simples e fale pausadamente, mas sem exagerar. Repita a informação, se for necessário.
  • Quanto mais pistas (auditivas, visuais, táteis, do ambiente, etc), mais fácil se torna a compreensão da informação pela pessoa com afasia. – Fale de frente para a pessoa, utilize gestos, desenhos, esquemas, escreva palavras-chave, aponte objetos, fotografias ou pistas do meio envolvente, reforce as palavras mais importantes ou tente explicar por outras palavras.
  • Por vezes, a pessoa com afasia pode transmitir uma ideia ou decisão que não pretende, por exemplo, respondendo “não” quando queria dizer “sim”. Para garantir que a comunicação é eficaz, ambos devem ter a certeza que estão a ser compreendidos e a compreender. – Confirme o tópico e a resposta da pessoa, coloque questões de sim/não, escreva hipóteses de resposta e peça-lhe para apontar, fazer gestos ou, se possível, escrever.
  • A pessoa com afasia não tem problemas auditivos, é inteligente e tem a maturidade que tinha antes da lesão neurológica, no entanto, enfrenta agora barreiras neurofisiológicas que tornam a comunicação numa atividade mais exigente e menos fluída. – Tente não elevar a intensidade da sua voz, não infantilizar e não fazer de conta que entendeu.

afasia5

Joana Santos • Terapeuta da Fala


Bibliografia de base:

American Stroke Association (2004). Talking Tough? Stroke Connection; Maio/Junho.

Imagens de: https://www.youtube.com/watch?v=hTh86NoQh7Q (vídeo recomendado)

Afasia

A afasia é uma perturbação da linguagem que afeta a capacidade de comunicar, sem afetar a inteligência do indivíduo. Esta pode comprometer a capacidade de falar e de compreender os outros, mas também de ler e escrever.

afasia

Do ponto de vista funcional, a afasia é uma perturbação da comunicação que mascara as competências do indivíduo. Em muitos casos, o indivíduo não é capaz de expressar as suas ideias, opiniões, necessidades e sentimentos, apesar de saber o que afasia2pretende.

Na maioria dos casos, a afasia é causada por uma lesão do hemisfério cerebral esquerdo, na sequência de um Acidente Vascular Cerebral. No entanto, existem outras causas possíveis, como cancro, doenças neurológicas progressivas e traumatismo cranioencefálico.

O Terapeuta da Fala é o profissional de saúde responsável pela reabilitação da pessoa com afasia, tendo como principal objetivo a otimização da comunicação entre o indivíduo e os seus interlocutores e, consequentemente, a melhoria da sua qualidade de vida, através da estimulação das competências linguísticas e da orientação do utente e família para uma comunicação eficaz.

Existem diferentes tipos de afasia, consoante o quadro de alterações linguísticas apresentado. No primeiro contacto, o Terapeuta da Fala avalia as competências linguísticas do indivíduo, estabelece o diagnóstico e planeia a sua intervenção, de forma a colmatar os défices comunicativos. Algumas das competências avaliadas são a compreensão auditiva e escrita, a capacidade de nomear e repetir palavras e o discurso espontâneo do indivíduo. No caso do AVC, a intervenção deve ser iniciada o mais cedo possível, uma vez que a maior parte da recuperação neurológica ocorre nos primeiros três meses de evolução.

Joana Santos • Terapeuta da Fala


Bibliografia de base:

Papathanasiou, I., Coppens, P., & Potagas, C. (2013). Aphasia and Related Neurogenic Communication Disorders, ix–493.

Teasell, R., & Hussein, N. M. M. M. (2014). Brain Reorganization, Recovery and Organized Care. Stroke Rehabilitation Clinician Handbook 2014, 1–41.

Create a free website or blog at WordPress.com.

EM CIMA ↑